Chegando em Grail…

No planeta Grail, sede da casa Keddah, há uma península sob o comando de um Marquês Decados. Havia cinco dias, um grupo de diferente havia chego ao planeta. Havia mercenários, padres, nobres e todos iam juntos para o mesmo local. Todos estavam a bordo de um trem. Cada um havia recebido seu convite das mãos de um emissário, cada um vestido a roupas das casa Decados.

Em cada carta, a mesma mensagem:

Convite para Jantar

Você está convidado a comparecer na mansão de veraneio do Marquês Alexei Decados, que se encontra no planeta Grail, na Península do Gavião Verde, no dia 05 de maio de 5012.

Sua presença é requerida e o Marquês faz questão de sua presença neste jantar que será feito em homenagem aos feitos de alguns dos convidados.

Haviam percebido que cada um deles havia vindo de diferentes lugares e cada um tinha propósitos, habilidades e antecedentes diferentes das dos outros.

Uns tinha segredos que contaram abertamente aos outros, com o propósito de intimidar. Outros tinham segredos que eram mais bem guardados com eles, mas os outros desconfiavam que eles os tivessem e não o falaram… Mas isso não os incomodava. O que os incomodava era o porquê que o Marquês os havia convidado para  tal jantar e tal “celebração”.

Mas quem era o marquês?
Alexei Decados, o marquês explorador, é um famoso estrategista espacial e militar. Ele ficou famoso por sumir um ano antes do fim das Guerras do Imperador. Ele pegou seu destróier, o Lança Negra, e passou pelo portal e sumiu por 10 anos. Quando retornou, possuía uma frota de 15 naves, comandada por um cruzador muito poderoso chamado o Thaddis Sabath. Junto com ele trouxe riquezas e conhecimento de mundos perdidos a muito esquecidos e além da bela e misteriosa Daji. Mas após esta empreitada e ter impressionado as cortes, a igreja, as guildas e até o Império, o Marquês têm desaparecido dos holofotes… até o dia de hoje.

Chegaram á mansão principal no final da tarde e o local lhes deixou espantado com tamanha beleza. Ficava a beira de um penhasco, com jardins suntuosos, chafarizes e uma vista para o mar fantástica.

Havia várias tropas fazendo a segurança do local. Logo foram recebidos por servos que os direcionou para uma casa de visitas. Apesar de simples, era bem bonita e continha todos os básicos. De construção quadrada, tinha 16 quartos e no meio havia um jardim de inverno.
No quarto, uma cama, uma cômoda e na cômoda um jarro com água fresca. Eles iriam ser chamados as 20hs na entrada da mansão. Tinham uma hora e meia para descansar e se arrumar.

Jal se sentiu indignado a receber um quarto do mesmo tamanho de um humano, já que ele tinha 3 metros e meio de altura e a cama não comportaria seus 350 kg.

B’elkar resolveu tirar um cochilo, enquanto que Arthur resolveu investigar um pouco a região. Syn e Lorak foram fazer suas explorações por conta própria.

Gregor sentou em uma cadeira e começou a ler o Omega Gospels e fazer anotações em seu caderno de estudos. Conversando consigo mesmo de vez em quando.

A maior parte desempacotou suas coisas e se arrumou para o jantar, limpando as armaduras e suas armas brancas (uma vez que armas de fogo não seria educado levar).  Vestiram suas melhores roupas após se lavarem. Para o desespero dos criados da mansão, Jal tomou um banho rápido no chafariz em frente à mansão.

Continua…

Desculpem se omiti alguém, apenas me lembro de algumas coisas… a segunda parte vêm logo mais.

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s