Caminhos no gelo – Cap. 05

Ao chegarem em Celart, um homem se aproxima deles. Pelas suas vestes é um padre Ortodoxo. “Abençoado seja o Pancriador! Vocês são sobreviventes da nave que caiu?” ele acaba olhando para o céu cinzento de Malignatius e abre os braços como em agradecimento. Alex se encolhe e acaba não gostando muito da reação do padre. Abgail olha com surpresa e diz:”Sim, nós somos os sobreviventes da queda.”

Roland procura um lugar para buscar informações e Tak olha a cidade com curiosidade. Não muito longe dali Xan-Qi e Aleph conversam rapidamente. “Eles podem ser valiosos para a resistência, além do que a nave pode nos ajudar muito.” diz Xan-Qi, todo encapuzado para que ninguém o reconheça. “Irei tentar conhecer-los melhor e descobrir se servem a causa m´lord.” Responde Aleph com sua determinação de Irmão Batalha.

Nossos quatro heroís são levados para a taverna não muito longe da estação de trem. O padre continua conversando com eles e sempre murmurando preces de agradecimento ao Pancriador. A taverna é um local de teto baixo e rústico, todo feito de madeira. Com uma dúzia de mesas e um balcão onde se encontra o taverneiro. Tak olha para ele e pergunta:”Quero algo que me esquente da cabeça aos pés.” E assim o taverneiro percebendo o frio que ele passa, ele acaba por dar um chá com licor, que faz Tak se sentir muito melhor. Roland pergunta ao taverneiro se há alguém que possa consertar naves. O tarverneiro diz que na vila só há o ferreiro e o aprendiz. Mas que no ponto final há um feudo Li Halan e lá tem um Espaço-porto. O padre se prontifica e vai buscar o ferreiro.

Nisso Alpeh se aproxima. “Saudações. Soube que vocês fizeram uma viagem e tanto. Meu nome é Aleph Starshield, Aprendiz da Ordem dos Irmãos Batalha. Posso ajudá-los em algo?” Alex se sente muito desconfortável com a chegada de Aleph, especialmente por saber que a Igreja não gosta de Satraistas e gostam de julga-los antes de mais nada. Abgail e Roland olham um para o outro e Abgail comenta”Já que você está se prontificando a nos ajudar, pode nos dizer aonde estamos?“. Aleph sorri de leve para a nobre Hazat e diz “Estão na vila de Celart, no sudeste do continente de Alakshak.” Ao ouvir isso, Alex da um salto e diz rapidamente a todos: “Estamos no meio de território Decados. Em pouco tempo estarão nos procurando. Conheço a região e a capital está muito longe daqui, o que pode demorar um pouco a tropas melhores chegarem até nós, mas… estamos em território inimigo.

Todos se entre olham e nesse momento chega o padre e o ferreiro. Roland e Alex diz a posição da nave para o ferreiro, enquanto Abgail e Tak conversam com Aleph sobre ir ao feudo Li Halan. Aleph diz que a melhor maneira de ir é pelo trem, pois demora três horas para ir e voltar. Xan-Qi escuta tudo de um canto da taverna, e ele também quer dar uma visita a nave.

Pronto, os destinos estão se entrelaçando. Um grupo se forma e vai para as terras Li Halan. Outro pretende visitar a nave e tentar conseguir algo para uma resistência em um planeta a muito tomado por inimigos. Veremos o que acontece.

Li Halan Noble     Li Halan Cross

Nobre Li Halan e o símbolo da casa, a Cruz de Ametista.

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s